terça-feira, 9 de maio de 2017

SAUDADE, MÃE QUERIDA!


SAUDADE, MÃE QUERIDA!


O dia das mães vem chegando...

E me encontra assim... órfã!

No coração a família é completa.

Nas lembranças ela vive íntegra!

E ao lembrar, a emoção aflora,

Trazendo aos olhos a visão embaçada.

E ao coração lágrimas que não se vê.


De mãos vazias,

Não tenho poemas, como dantes tinha.

A sua presença inspirava mil palavras.

Sua ausência tornou mudo o pensamento.


E eu aqui... Órfã de ti.

Não consigo te mostrar...

A solidão da minha alma sem par.

Amor pra toda vida!


Irani Martins


sábado, 29 de abril de 2017

QUE EU POSSA VER, ALÉM DAS NUVENS DO CÉU.


 QUE EU VEJA ALÉM DAS NUVENS DO CÉU,

Que a mulher de hoje,
Traga dentro de si,
A alegria e a fé,
Da criança de ontem.
Para que a cada amanhecer.
Resgate novos sonhos,
E ilumine a vida com risos soltos,

Que a mulher de hoje,
Como a criança, que foi,
Entenda que o ontem e o amanhã,
Não vieram gravados na sua essência,
E a vida deve ser vivida no tempo presente,

Que a mulher de hoje,
Ao olhar-se no espelho,
Veja detalhes que narram,
Enredos e histórias de risos e choros,
De uma vida bem vivida,

Que a mulher de hoje,
Ao fazer o balanço dos seus anos,
Tenha em suas mãos,
Umm saldo positivo de paz,

Que o seu andar mais devagar,
A passos curtos,
Não signifique carga desnecessária,
Pesando sobre seus ombros,
Mas sim, a sabedoria apreendida,
Que lhe desacelera o ritmo,
Alongando o tempo,
E que neste ato,
A mulher de hoje,
Ainda saiba olhar como criança,
Se deter nas pequenas surpresas da vida,
Observando e vivendo o "presente vida".
Que a mulher de hoje,
descubra tesouros, ao longo do dia,

Que a mulher de hoje,
Saiba adentrar ao seu habitat original,
Recuperar seus pedaços perdidos,
Tornar-se una com sua própria essência.
Saber-se mais que matéria,

Não mais,
Andar sem olhar as nuvens no céu,
E como a criança que foi,
Procurar formas no algodão das nuvens,
Ainda, curiosa, buscando conhecimento,
Como a criança que foi,
Mas tocando a vida,
Com sabedoria,
Com suavidade no tato e no trato,
Aprendendo com as sutilezas do caminho,


Que a mulher de hoje,
Tal qual a criança que brinca,
Encontre carneiros e aves,
Nas nuvens que brincam no céu,
Mas que,
A mulher que aqui avalia seus anos,
Possa olhar além das nuvens,
Ver o azul do firmamento,
Entender a vida como infinito,
Se poetizar com a luz do luar,
Brilhar tal qual o Astro Rei que retorna sempre
Iluminando,
Após a noite escura,
E olhando através das nuvens,
Ver, as Estrelas no Céu,
E fazer delas,
Berço para seus novos sonhos,
Como a menina que foi.

Que a mulher de hoje...
Pegue pela mão a criança que é,
E comemore as marcas, vitoriosas,
Que o tempo deixou em si.

Irani Martins
28/04/2017

terça-feira, 4 de abril de 2017

AS MÃOS QUE ME TOCAM


AS MÃOS QUE ME TOCAM


Ando agarrando toda mão que me alcança...
Dentre muitas,
Há, as que deslizam ao tocar a minha,
Escorregadias...
Deixando-me aflita,
Em desequilíbrio...
Suspensa, entre a mentira e a verdade.
Aprendi, a olhar com os olhos do coração,
Que comungam com os mesmos sentimentos,
Advindos do mesmo berço.
E olhos nascidos da dor,
Veem em todos os rostos a face angelical,
E em todas as mãos,
O socorro necessário.
Aprendi a ouvir,
Mas não aprendi a captar os ruídos das mensagens.
E tudo que ouço,
Tem o timbre da verdade,
As palavras que acompanham as mãos escorregadias,
Soam a mim,
Com a mesma ternura que vejo com meus olhos nascidos da dor,
A mão que se estende,
E acredito nela!

Irani Martins

04/04/2017

segunda-feira, 3 de abril de 2017

"OUTROS JEITOS DE USAR A BOCA"





domingo, 19 de fevereiro de 2017

TABULE

Receita de Tabule تبولة

TALLARINES SALTADOS_CRIOLLO PERUANOS

ARROZ ARABE- PILAFF