domingo, 5 de agosto de 2018

AS MUITAS MULHERES QUE ME HABITAM




AS MUITAS MULHERES QUE ME HABITAM

Meu corpo
 Tem sido abrigo a muitas mulheres,
Nem sempre semelhantes,
Muitas vezes discordantes,
Contraditórias...
Tantas mulheres 
 Habitam minha simples alma.

A mulher menina,
Que num piscar de olhos,
Viu-se mãe,
A mãe
 "de primeira viagem",
Acordou numa manhã,
E já era mulher adulta,
Mulher resolvida,
Driblando a vida,
E a arte de ser mãe.
Duas mulheres em uma.

E não termina aí,
A saga da minha alma.

O espelho, certo dia,
Mostra-me uma nova face,
Mulher "de vez”,
É a mulher que habita, agora,
Minha alma inovadora.

Igual fruta beirando cor de outono,
Querendo amadurecer,
Nem verde,
Esse tempo já se foi,
Nem madura... Ainda,
“DE VEZ"...

Andando pelo Outono da vida,
Folheando as páginas,
Amareladas da vida,
Relendo os fatos vividos,
É essa a nova mulher, 
Ainda, amadurando...
A mulher que me habita hoje!

Quantas, ainda,
Habitarão minha alma?
Quantas?

Antes da mulher fatal,
Que sairá de cena,
 No ato final Do teatro da vida,
Levando, em fim,
Minha alma consigo?


Irani Martins
05/08/2018


sexta-feira, 3 de agosto de 2018

PASSOS NA AREIA


                                       
                                            PASSOS NA AREIA

Deixo passos na areia,
Marcas dos caminhos por onde andei,
Profundas,
Quando as passadas foram lentas,
Escrevendo os dias cansados,
Na dormência do andar.

Superficiais,
Nos dias de pressa,
Quando a ânsia de viver,
Disputava espaço com o tempo,

Houve corridas a passos largos,
Onde a alegria apressava a vida,
Correndo,
Em busca da felicidade almejada,
Mas, também,
Paradas obrigatórias,
Buscando profundamente o ar,
Querendo inalar a vida,
E renovar o meu ser,
Que pedia tempos de paz,
Deixei muitas marcas,
Por onde andei,
Pedaços de mim,
Por onde passei,

Atrás ficaram alguns afetos,
Trago comigo bagagem de amor,
E junto um tanto de dor,
No coração, esperança.

Os passos seguem,
O destino incerto,
Deixando na estrada minhas marcas da vida,
E em minha face,
A cada passo, um novo sulco,
Marcando o tempo da vida em mim.

Irani Martins
03/08/2018



CORPO E ALMA




CORPO E ALMA

Nasci,
Corpo e espírito,
Vivendo a vida,

No entanto...
Morro,
Lentamente,
Desencontrada que estou,
Corpo e alma...

Vivemos,
Morremos,
Renascemos...

Um dia atrás do outro,
Vamos nos buscando,
Retornando à jornada,

Há dias de encontro,
Há noites de desencontros,
Luz e treva em luta incessante...
Vontade e desinteresse...
Lutam entre si...

Há urgência !
Corpo e alma vivem irmanadas!

Minha alma me pega pela mão,
Anima meu corpo inerte,
Querendo que eu sopre o rescaldo do seu coração,
Reacendendo sua chama,
Que por um fio se apagará,
E então...
Para nós,
Será eterna a noite!

Irani Martins
29/07/2018

sexta-feira, 20 de julho de 2018

A MORTE E A VIDA




A MORTE E A VIDA.
A vida abriga todas as mortes,
E, por ela, finalmente, é vencida.

Na vida morremos todos os dias.
E nem sempre,
A morte é destino certo ao nosso lado sombrio,
Que renascerá em em Luz.

Morremos todos os dias...
A morte se apresenta dia a dia,
Nas decepções sofridas,
Nas expectativas frustradas,
Nas traições ferinas,
No sonho que não vingou, morreu no ninho, ainda gestando.

A morte, ronda a vida...
Quando morre em nós a esperança,
Quando a tristeza faz ocupação irregular no coração,
E o sorriso exibido nos lábios,
Não condiz com os olhos mortiços do palhaço,
Que colhe riso alheio,
Mas não conhece o som da alegria,

A morte vive de mãos dadas com a vida.
Como o sorriso e o choro,
Que Irmanam-se passo a passo na caminhada,
Intercalando emoções,
Dando rosto às intempéries,
Finalizando o resultado.

Morte e vida andam juntas,
Braço dados,
Na mesma aventura,
Tecendo suas teias,
Em vida, existem muitas mortes.
Precisamos vive-las,
E também,
Morrer todas as mortes!

Irani Martins
19/07/2018

terça-feira, 17 de julho de 2018

A SAUDADE É UM VAI E VEM







A SAUDADE É UM VAI E VEM

Uma palavra,
Uma cena,
Uma lembrança,
Abre um arquivo de memória,
E de lá, sai a saudade...
E com ela...
Um novelo, que vai desenrolando saudades,
Tecendo a mesma história vivida.
Com diferenças, antes, não percebidas.

A saudade muda o nosso olhar sobre a vida,
Adoça nossas lembranças,
E a dor de uma ausência,
Amadurece o perdão,
E nem mais importa saber,
Se merecido ou não.

Nossos olhos fazem releitura mais bondosa,
Da mesma história vivida.
A saudade vai,
E volta renovada,
Cheia da gratidão, antes não sentida.

A saudade vai,
Tal qual balde vazio amarrado à caçamba,
Toca o fundo do poço.
E sobe,
Trazido pela força, do sarilho coração,

Chega transbordante de lembranças e emoções,
Travestidas de água fresca e cristalina,
Cura o deserto da alma,
A aridez da ausência,
A sede, de amor, de carinho,
De quem foi,
E não volta mais!

A saudade é um vai e vem.

Irani Martins 
17/07/2018











sábado, 14 de julho de 2018



BALANÇA DA VIDA

Na balança da vida,
Eu peso a vida e a morte,
E contrabalanço os dois pesos,
Como as ondas do mar,
Ora altas,
Onde sou pura adrenalina,
Ora baixa,
Onde sou repouso e mansidão,
E apenas a areia com seu atrito,
Traz a vida a tocar meu corpo.

Na balança da vida,
Morte e vida,
Andam juntas,
Equilibrando pesos,

Sou vida,
E sou a morte,
Sou o escuro da noite,
E o sol da manhã,
Sou o sorriso,
E o pranto,

Sempre eu,
E minha sombra...
Caminhando juntas,
Rumo ao destino comum,
Quando vida,
E quando morte,
Equilibrando os pratos,
Da velha balança da vida!

Irani Martins
14/07/2018

sexta-feira, 11 de maio de 2018

E HOJE é o dia.


E HOJE é o dia. 
Aquele dia tão esperado, que ousamos chamar de "MEU DIA". E quando ele chega, mostra-se como todos os outros dias da nossa vida. Não há salva de tiros ao raiar do dia, homenageando nossos feitos heróicos, nem balões coloridos subindo ao céu.
Apenas, nosso coração poeta, insiste, ano após ano, a esperar que o dia seja poesia, que o sol aponte no horizonte em trajes de gala, vestindo um amarelo dourado, mais brilhante, para esse dia especial. Que o vento sopre, compondo uma sinfonia, com notas musicais vibrantes em energia e alegria.
Que os sorrisos, sejam abertos, ao dizer bom dia, e com eles sorriam também os olhos, pressagiando um momento ímpar.
Afinal, "O DIA É MEU"!
E lá se foram 63 dias assim...
ESPECIAIS...
Com suas histórias, contadas, guardadas, sortidas de choro e riso.
Quantas pessoas fui arrastando comigo nessa composição de vida!
Algumas se foram...
Por vontade própria, outras, compulsoriamente, pela vida.
Muitas permaneceram, pelos mesmos motivos.
A vida é isso!
E embora tenhamos a ilusão de que temos um dia, que queremos perfeito em poesia, a vida tem poesia de dores, alegria e poesias fúnebres em seu interior.
E nessa caminhada, chamada vida, vamos tomando pelas mãos, um aqui, outro acolá. E num momento qualquer os perdemos aqui e ali.
No balanço desses dias, analiso plantação e colheita.
Não quero que a hipocrisia seja um saldo para o futuro dos meus dias, preciso então, ser justa na minha própria balança.
Nem tão dura, inflexível, pois estou me descobrindo, nem tão permissiva, pois preciso me moldar.
Já tenho um saldo positivo,que faz desse momento, "MEU DIA ESPECIAL" .
Mesmo que ainda não haja "salva de tiros", sou heroína das minhas batalhas. Prevejo um dia, com vento musicista e muitos sorrisos pipocando iguais balões.
Meu coração em resposta, canta versos de amor às mãos que seguro entre as minhas, e sustentam a minha vida. Tenho alguém especial que caminha ao meu lado.
Conquistamos e edificamos juntos uma verdadeira família.
MINHA FAMÍLIA, Meu bem mais precioso, é também meu esteio, a prova de que plantei valores e os colho no outono da vida.
Em seguida, MEUS IRMÃOS, juntamente com os seus, que trazem afeto e alegria, como história edificada e plantada pelos nossos pais, suplantando com suas presenças as ausências destes. Herança maior.
E OS AMIGOS,
Essas pessoas,tão queridas, que tornam todos os meus dias, momentos especiais, quando me veem melhor do que sou.
Olho para trás e vejo uma mescla de saldos de risos e lágrimas em cada um desses 63 dias.
Acredito no saldo positivo das minhas VITÓRIAS. Acredito ter derrotado algumas sombras em mim, que me impediam de ver o melhor caminho.
Deixei algumas marcas visíveis, na luz.
Trago algumas descobertas, não tão honrosas, ainda, a serem vencidas. Mas, já as descobri! Estou caminhando...acredito que verei mais luz ali na frente.
Entre o que fui e o que sou, colho um saldo de amadurecimento que me faz feliz.
Aos que não permaneceram, na minha vida, por vontade própria, consequência de minha imaturidade, peço perdão.
Eu sinto muito,
Me perdoe,
Te amo,
Sou Grata.
Que Deus na sua imensa misericórdia, continue a olhar por mim.
Irani Martins
28/04/2018